quinta-feira, 27 de setembro de 2007

ACUMULANDO RIQUEZAS NO CÉU


“Onde os bens se multiplicam, também se multiplicam os que deles comem; que mais proveito, pois, têm os seus donos do que os verem com seus olhos?”. Eclesiastes 5:11.

A natureza humana com sua sede de conseguir mais, tem levado pessoas a viverem a vida em constante stress porque elas nunca estão satisfeitas com o que têm. Nossa meditação deste Sábado mostra claramente o que acontece com o ser humano à medida que o dinheiro e os bens se multiplicam. Em outras palavras, o sábio está dizendo que quanto mais a gente ganha, mas temos com que gastar, e quando os bens se multiplicam, as responsabilidades e despesas aumentam também. O texto termina com uma pergunta que parece não ter resposta. Parece confuso ver Salomão falando que o acúmulo de riquezas não tem propósito na vida, quando ele mesmo era um homem muito rico. Contudo, esta é a verdadeira razão pela qual ele está habilitado a escrever sobre este assunto. No contexto do seu tempo, Salomão trabalhou duro para acumular riquezas e quando finalmente se tornou muito rico, compreendeu que sua ambição na verdade era apenas vaidade.

É verdade que hoje vivemos em um mundo cruel onde temos dificuldade até de sobreviver, quanto de mais acumular riquezas! Talvez o sonho de ver os bens se multiplicarem parece um ideal longe do nosso viver diário. Às vezes já trabalhamos tão duro para suprir o básico como aluguel, comida, roupa, etc, que nem sequer pensamos em riqueza, ou pensamos? Como cristãos nossa motivação deveria ser a pátria celestial. Quando ofuscamos essa visão em detrimento das coisas terrenas, nossa vida se torna um batalha alucinante. A mensagem de Jesus de que tendo o que comer e o que vestir deveríamos estar satisfeitos só faz sentindo quando nós vivermos a vida neste mundo com o senso de transitoriedade.

Olhando para realidade do ganho nos dias de hoje, assim que passamos a ter um salário maior, trocamos o nosso carro, ou mesmo compramos uma casa, e então começamos a progredir na vida.

Nossos gastos aumentam à medida que as entradas aumentam. Para alguns não vai fazer muita diferença entre ganhar pouco ou muito, pois tudo que ganhar vai ser gasto em benefícios pessoais. A Bíblia nos adverte para acumularmos tesouros no céu, onde os valores monetários destes bens serão eternos. O sentimento de Salomão após conquistar riquezas e bens, foi um vazio interior que não preencheu a sua alma. Para aqueles que pensam somente nesta vida, dinheiro, bens, e riquezas fazem muito sentido. Mas para aqueles que aguardam o amanhã com Deus, tudo neste mundo é passageiro, e a prosperidade, se vier, é para abreviar o reino de nosso Pai Celestial.É interessante ver como as pessoas passam a vida lutando para conseguir bens e dinheiro e depois descem à sepultura com as suas contas bancarias lá em cima. Verdadeiras fortunas têm sido deixadas para herdeiros, por pessoas que lutaram muito, e que no fim ficaram sem nada. Infelizmente elas não puderam levar o dinheiro para a sepultura. O nosso grande problema na vida cristã é não nos contentarmos com o que temos. Precisamos viver pensando nas riquezas da glória eterna. Nosso alvo é viver multiplicando a nossa conta celestial e Jesus disse: “E quem der a beber, ainda que seja um copo de água fria, a um destes pequeninos, por ser este meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão”. Mateus 10:42. A

glória eterna que está por se manifestar, vai devolver a riqueza eterna que o inimigo roubou no Éden. Os bens deste mundo jamais poderão suplantar a glória do mundo porvir. Salomão está certo ao dizer que a riqueza desta vida é vaidade, mas no além, para onde vamos, seremos ricos para sempre. Esta riqueza começa aqui e dura para sempre.