terça-feira, 15 de setembro de 2009

SEGUNDA VINDA DE CRISTO

Em nossos dias, como nos dias de Cristo, há uma leitura e uma interpretação incorretas das Escrituras. Se os judeus tivessem estudado a Palavra com coração zeloso, com oração e humildade, seu estudo teria sido recompensado por um verdadeiro conhecimento não só do tempo, mas também das características da primeira vinda de Cristo. Eles não teriam atribuído a glória da segunda vinda de Cristo a Seu primeiro advento. Eles dispunham do testemunho de Daniel; possuíam o testemunho de Isaías e de outros profetas; estavam de posse dos ensinos de Moisés; e ali Se encontrava o próprio Cristo em seu meio, e ainda assim prosseguiam pesquisando as Escrituras em busca de evidência com respeito a Sua vind.....

Muitos agem da mesma forma hoje... porque não tiveram experiência nas probantes mensagens abrangidas na primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. Há quem esteja sondando as Escrituras em busca de prova de que essas mensagens ainda estão no futuro. Eles reúnem a veracidade das mensagens, mas deixam de dar-lhes seu lugar adequado na história profética. Portanto, esses correm o risco de desviar o povo com respeito à localização das mensagens. Não vêem e não percebem o tempo do fim, nem quando situar as mensagens. O dia de Deus se aproxima despercebidamente, mas os supostos sábios e grandes deste mundo estão falando sobre "cultura superior", que julgam originar-se com homens finitos. Não conhecem os sinais da vinda de Cristo, ou do fim do mundo. ... O vigia deve saber reconhecer a hora da noite. Tudo está agora revestido de uma solenidade que deve ser sentida e notada por todos que crêem na verdade. ... Todas as coisas efêmeras da vida não passam de insignificâncias agora. Mas as que pertencem à eternidade são de grande conseqüência.

Muitos há no mundo hoje que fecham os olhos às evidências dadas por Cristo para advertir os homens sobre Sua vinda. Buscam aquietar toda a apreensão, ao mesmo tempo em que os sinais do fim se cumprem rapidamente e o mundo se apressa em direção ao tempo em que o Filho do homem Se revelará nas nuvens do céu. Paulo ensina ser pecaminoso mostrar-se indiferente aos sinais que devem preceder à segunda vinda de Cristo. Aos culpados desta negligência chama ele filhos da noite e das trevas. Ao vigilante e atento anima ele com estas palavras: "Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios." I Tess. 5:4-6.
Olhando através dos séculos para o fim do tempo, Pedro foi inspirado a esboçar as condições que prevaleceriam no mundo antes da segunda vinda de Cristo. "Nos últimos dias virão escarnecedores", escreveu, "andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da Sua vinda? Porque desde que os pais dormiram todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação." II Ped. 3:3 e 4. Mas "quando disserem: Há paz e segurança; então lhes sobrevirá repentina destruição". I Tess. 5:3. Nem todos, porém, seriam enganados pelos ardis do inimigo. Ao aproximar-se o fim de todas as coisas terrestres, haveria fiéis capazes de discernir os sinais dos tempos.


João Batista saiu no espírito e virtude de Elias, a fim de preparar o caminho do Senhor, e fazer voltar o povo à sabedoria do justo. Era ele um representante dos que vivem nos últimos dias, a quem Deus tem confiado sagradas verdades para serem apresentadas perante o povo, a fim de ser preparado o caminho para a segunda vinda de Cristo.

FONTES
Olhando Para oAalto, 262
Manuscrito 41a, 1896.
Atos dos Apóstolos, 260,535