sexta-feira, 23 de outubro de 2009

CAIM E ABEL FILHOS DE ADÃO

Um dia Caim pegou alguns produtos da terra e os ofereceu a Deus, o SENHOR. Abel, por sua vez, pegou o primeiro carneirinho nascido no seu rebanho, matou-o e ofereceu as melhores partes ao SENHOR. O SENHOR ficou contente com Abel e com a sua oferta, mas rejeitou Caim e a sua oferta. Caim ficou furioso e fechou a cara. Então o SENHOR disse: Por que você está com raiva? Por que anda carrancudo? Se tivesse feito o que é certo, você estaria sorrindo; mas você agiu mal, e por isso o pecado está na porta, à sua espera. Ele quer dominá-lo, mas você precisa vencê-lo. GÊNESIS, 4:3 - 7

O Senhor dera a Caim e Abel instruções relacionadas com o sacrifício que deveriam trazer-Lhe. Abel, guardador de ovelhas, obedeceu à ordem do Senhor e trouxe um cordeiro como oferta. Esse cordeiro, ao ser morto, representava o Cordeiro de Deus,(Cristo) que seria morto pelos pecados do mundo. Caim trouxe como oferta o fruto da terra, sua própria produção. Não estava disposto a depender de Abel quanto a uma oferta. Não lhe pediria um cordeiro. Pensou em suas próprias obras perfeitas, e estas apresentou ele a Deus.“ Salvação pelas obras” Caim pretendia receber os favores de Deus pelo seu esforço propio, não precisava fazer o que Deus ordenara, daquele jeito era melhor! Não é assim hoje? desse jeito é melhor e mais fácil, mais alegre, traz mais pessoas para o nosso convívio. Porque mandamentos? todos fazem assim! Será que só eu estou certo, um dia em que todos trabalham, porque preciso obedecer.”guardar” será que todos estão errados? matar um animal inocente, isto é trágico! assim fica melhor. Devo obedecer a Deus, não como ele pede, mas como acho que fica melhor....

Caim conversou com Abel acerca de seus sacrifícios e acusou a Deus de parcialidade. Abel arrazoou com seu irmão, repetindo-lhe as exatas palavras da ordem divina a ambos, em relação às ofertas que Ele requeria. Caim sentiu-se provocado porque seu irmão mais novo se atrevia a ensiná-lo. Permitiu que a inveja e o ciúme lhe enchessem o coração. Odiou seu irmão porque este fora preferido em lugar dele.
Enquanto ponderava a questão, Caim se tornava cada vez mais irado. Viu seu erro ao oferecer somente seus produtos diante do Senhor, sem o devido sacrifício de um cordeiro, mas decidiu defender a si mesmo e condenar Abel. Satanás operou através dele, inspirando-o com o desejo de matar seu irmão.

Através dessa história o Senhor ensinaria a todos que se deve obedecer implicitamente à Sua Palavra. Caim e Abel representam duas classes de pessoas, os ímpios e os justos, aqueles que seguem seu próprio caminho e aqueles que conscienciosamente guardam os caminhos do senhor para fazer justiça e juízo.

Abel não tentou forçar Caim a obedecer à ordem de Deus. Foi Caim, inspirado por Satanás e cheio de ira, quem usou a força. Furioso porque não conseguia compelir Abel a desobedecer a Deus e porque Deus havia aceitado a oferta de Abel e recusado a dele, que não reconhecia o Salvador,”o sacrifício de Jesus na Cruz” Caim matou seu irmão....

Os dois grupos, representados por Caim e Abel, existirão até ao encerramento da história terrestre. O que pratica o bem, o obediente, não guerreia contra o transgressor da santa lei de Deus. Mas aqueles que não respeitam a lei de Deus oprimem e perseguem outras pessoas. Seguem o seu líder, que é o acusador de Deus e daqueles que são aperfeiçoados pela obediência. O espírito que leva pessoas a acusar, condenar, aprisionar e matar outras tem-se tornado forte em nosso mundo. É esse o espírito que sempre opera nos filhos da desobediência.

Caim e Abel, filhos de Adão, diferiam grandemente em caráter. Abel temia a Deus. Caim, porém, acariciava sentimentos de rebeldia, e murmurava contra Deus por causa da maldição
pronunciada sobre a Terra e sobre o gênero humano, em virtude do pecado de Adão. Esses irmãos tinham sido instruídos com respeito à provisão feita para a salvação da raça humana. Deles era requerido que praticassem um sistema de humilde obediência, mostrando sua reverência a Deus e fé no Redentor prometido.(Cristo Jesus) Mediante o sacrifício dos primogênitos do rebanho e sua solene apresentação, com o sangue, como oferta queimada a Deus mostrariam sua dependência dele. Este sacrifício devia levá-los a ter sempre em mente o seu pecado e o Redentor por vir, ( Jesus) o qual devia ser o grande sacrifício pelo homem.

Caim trouxe suas ofertas perante o Senhor com murmuração e infidelidade no coração em referência ao Sacrifício prometido. Ele não estava disposto a seguir estritamente o plano de obediência, procurar um cordeiro e oferecê-lo com os frutos da terra. Meramente tomou dos frutos da terra e desrespeitou as exigências de Deus. Deus tinha feito saber a Adão que, sem o derramamento de sangue, não podia haver remissão de pecados. Caim não estava preocupado em trazer nem mesmo o melhor dos frutos.

"Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim." Heb. 11:4.
Abel apreendeu os grandes princípios da redenção. Viu-se como um pecador, e viu o pecado e sua pena de morte de permeio entre sua alma e a comunhão com Deus. Trazia morta a vítima, aquela vida sacrificada, reconhecendo assim as reivindicações da lei, que fora transgredida. Por meio do sangue derramado olhava para o futuro sacrifício, Cristo a morrer na cruz do Calvário; e, confiando na expiação que ali seria feita, tinha o testemunho de que era justo, e de que sua oferta era aceita. “ Abel apresentou o grande plano da redenção.”

A classe de adoradores que segue o exemplo de Caim inclui a grande maioria do mundo; pois quase toda a religião falsa tem-se baseado no mesmo princípio, de que o homem pode confiar em seus próprios esforços para a salvação. Alguns pretendem que a espécie humana necessita, não de redenção mas de desenvolvimento - que ela pode aperfeiçoar-se, elevar-se e regenerar-se. Assim como Caim julgava conseguir o favor divino com uma oferta a que faltava o sangue de um sacrifício, assim esperam estes exaltar a humanidade à norma divina, independentemente da expiação. A história de Caim mostra qual deverá ser o resultado. Mostra o que o homem se tornará separado de Cristo. A humanidade não tem poder para regenerar-se. Ela não tende a ir para cima, para o que é divino, mas para baixo, para o que é satânico. Cristo é a nossa única esperança.

"Nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos Atos 4:12.” "Em nenhum outro há salvação."

FONTES DE PESQUISAS
Patriarcas e Profetas, 72 e 73
Manuscrito 136, 1899.
Cristo Triunfante, 35
História da Redenção, 52