segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

CRISTO SEGUNDO ADÃO

Queremos neste estudo, mostrar as desvantagens que existia entre o primeiro Adão no Jardim do Éden, e o segundo Adão ( Jesus), no deserto da tentação...Jesus resistiu as tentações de Satanás sem pecar o Adão do Éden, não passou pela prova, e pecou contra Deus.....

As tentações de Jesus revelam alguns paralelos contrastantes com as de Adão e Eva. Adão foi tentado no Jardim do Éden, em um ambiente livre da realidade corruptora do pecado; Jesus foi tentado no deserto, em um ambiente sob a influência dos poderes do mal. Adão tinha abundância de alimento, enquanto Jesus estava privado deles. Adão não estava jejuando; Jesus, estava... tanto Adão quanto Jesus foram tentados para satisfazer seu desejo de alimento à parte da vontade de Deus; Adão cedeu, Jesus, não! Adão foi tentado a questionar o que Deus dissera e mostrou falta de confiança na palavra de Deus. Jesus também foi tentado a questionar a confiabilidade da palavra de Deus, mas rejeitou a tentação. Adão se ergueu abertamente contra o Senhor e se uniu a Satanás na rebelião contra Deus e Seu governo. Jesus teve a oferta dos reinos deste mundo se adorasse e Se unisse a Satanás na luta contra o reino de Deus. No entanto, Jesus permaneceu leal ao Pai.
Ao vencer Satanás nos pontos fundamentais em que Adão falhou, Jesus estava desfazendo o fracasso de Adão e tornando Sua vitória disponível a todos os que puserem nele sua fé. A nova humanidade não receberá do representante da raça humana um espírito de desobediência e rebelião, como aconteceu com Adão, mas um espírito de humilde submissão à vontade de Deus. Aquele profundo laço de unidade entre o Pai e o Filho não foi rompido pelas tentações e ataques que Satanás lançou contra o Filho de Deus.

Logo depois o Espírito Santo fez com que Jesus fosse para o deserto.
Jesus ficou lá durante quarenta dias, sendo tentado por Satanás. Ali havia animais selvagens, e os anjos cuidavam de Jesus. Marcos, 1 : 12 e 13
CRISTO É CHAMADO O SEGUNDO ADÃO. Em pureza e santidade, ligado a Deus e amado por Deus, começou Ele onde o primeiro Adão começou. Mas o primeiro Adão estava em todos os sentidos mais favoravelmente situado que Cristo. A maravilhosa provisão feita no Éden para o santo par fora feita por um Deus que os amava. Tudo na natureza era puro e incontaminado. Frutos, flores, e belas e altaneiras árvores vicejavam no Jardim do Éden. Mas veio Satanás e insinuou dúvidas acerca da sabedoria de Deus. ... Eva caiu sob a tentação e Adão aceitou o fruto proibido das mãos de sua esposa. Ele caiu sob a menor prova que o Senhor poderia ter imaginado para testar-lhe a obediência, e abriram-se as comportas da miséria sobre o mundo. ... Pela desobediência de um homem, muitos foram feitos pecadores.
Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto; e quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome. E disse-Lhe o diabo: Se Tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão. E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus." Luc. 4:1- 4. Ali estava o Filho do infinito Deus, e Satanás veio a Ele como um anjo de luz. Aí tentou -O no ponto do apetite. Cristo estava faminto e em necessidade de alimento. Por que não operou Ele este milagre? Isto não estava no plano de Deus, pois Cristo não devia realizar nenhum milagre em Seu próprio benefício. Em que posição Se achava Ele? Estava passando pelo terreno em que Adão caiu. Adão tinha tudo que sua necessidade exigia. Terrível era a fome de Cristo, e tudo de que precisava era alimento. O diabo foi derrotado nesta tentação.

Conquanto aparecesse como um anjo de luz, essas primeiras palavras traíam-lhe o caráter. "Se Tu és o Filho de Deus". Aí está a insinuação de desconfiança. Desse Jesus ouvidos à sugestão de Satanás, e seria isso uma aceitação da dúvida. O tentador planeja vencer a Cristo pelo mesmo processo tão bem-sucedido quanto à raça humana ao princípio. Com que astúcia se aproximara Satanás de Eva no Éden! "É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?" Gên. 3:1. Até aí eram verdadeiras as palavras do tentador; na maneira de as proferir, porém, havia disfarçado desprezo pelas palavras de Deus. Havia encoberta negação, uma dúvida da veracidade divina. Satanás procurara infundir no espírito de Eva a idéia de que Deus não faria aquilo que dissera; que a retenção de tão belo fruto era uma contradição de Seu amor e compaixão para com o homem. Da mesma maneira procura agora o tentador inspirar a Cristo seus próprios sentimentos. "Se Tu és o Filho de Deus." As palavras traduzem a mordacidade de seu espírito. Há no tom de sua voz uma expressão de completa incredulidade. Trataria Deus assim a Seu Filho? Deixá-Lo-ia no deserto com as feras, sem alimento, sem companheiros, sem conforto? Insinua que Deus nunca intentaria que Seu Filho Se achasse em tal condição. Tentou colocar duvidas do amor de Deus em Jesus "Se Tu és o Filho de Deus, porque está nesta situação.... E hoje esta forma de duvida está bem viva na mente da raça humana “ eu faço tudo certo, sou honesto em tudo que faço, porque estou nesta situação? Será que Deus não se lembra de mim? será que Deus me abandonou? porque? O Adão do Jardim do Éden aceitou as insinuações de Satanás!!! O segundo Adão Jesus, as rejeitou, e nós raça eleita de Deus?

A forma como o inimigo de Deus age, está bem clara para raça humana, qual deve ser a atitude de cada um? "Se és Filho de Deus", diziam, "desce da cruz." "Salve-Se a Si mesmo, se este é o Cristo, o escolhido de Deus." No deserto da tentação, declarara Satanás: "Se Tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães." "Se Tu és o Filho de Deus, lança -Te de aqui abaixo" - do pináculo do templo. Mat. 4:3 e 6. E Satanás com seus anjos, em forma humana, achava-se presente ao pé da cruz. "Se Tu és o Filho de Deus, dessa da cruz...

Fontes de Pesquisas
Manuscrito 20, 1898
Manuscript Releases, vol. 8, p. 39 e 40.
Cristo Triunfante, P.20
Desejado de Todas as Nações, P. 118 e 749