segunda-feira, 8 de outubro de 2007

VEREDAS DA JUSTIÇA


Guia-me pelas veredas da justiça por amor do Seu nome - Salmo 23:3
A todo tempo, somos colocados diante de escolhas. Quantas vezes ficamos oscilando entre uma e outra coisa simplesmente porque não sabemos que decisão tomar. E isso pode ser muito angustiante. A boa notícia é que o Senhor pode nos ajudar. O antídoto para a indecisão é deixar Deus dirigir a nossa vida. Deus está dizendo aqui: "Eu darei direção à sua vida, se você confiar em Mim."
Como posso permitir que o Senhor guie a minha vida? O que é a vereda da justiça?

A primeira coisa que precisamos compreender é admitir que necessitamos de um guia. Recordo-me que por algumas ocasiões acabei me perdendo ao procurar um endereço, simplesmente porque não perguntei para as pessoas qual era o caminho. Achava que conseguiria chegar. Por natureza, as ovelhas tendem a vaguear, a se perder pelo caminho. Elas precisam de um pastor, e nós também. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho Is 53:6.

As ovelhas têm uma visão curta e, por isso, se tornam extremamente vulneráveis aos perigos do caminho. Da mesma forma, nós também não conseguimos enxergar o futuro ou medir de forma total as conseqüências de cada decisão que tomamos. "Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte" Pv 14:12. Precisamos de um guia que tenha uma visão que transcenda à nossa.Por outro lado, ao afirmar a direção de Deus em nossa vida precisamos ouvir a Sua voz. Precisamos nos conectar a Deus. Precisamos estudar Sua palavra e acatar Sua vontade. Precisamos lembrar que Deus pode impressionar-nos por meio de sonhos, impressões, circunstâncias, conselhos, etc. O fato é que para conseguir o que queremos, muitas vezes, silenciamos o conselho divino e tentamos apenas encontrar explicações para nossa conduta ou ouvir aqueles que têm a mesma opinião. Em alguns casos, somente uma severa provação é capaz de fazer-nos enxergar novamente a vontade de Deus e afastar-nos do mal Pv 20:30.

Há alguns dias, ao realizar as obras do metrô em São Paulo, os engenheiros erraram o encontro de dois túneis em 80 centímetros. Um erro primário que custará muito tempo e dinheiro para corrigir. Precisamos corrigir nossa rota a todo instante, senão, lá no fim, será muito mais trabalhoso e dolorido ter que fazê-lo. Freqüentemente, Deus nos direciona por caminhos que não entendemos, mas, pela fé, precisamos ter a certeza da vitória que já nos está assegurada.
"Na vereda da justiça, está a vida, e no caminho da sua carreira não há morte" Pv 12:28.

O caminho da justiça pode não ser o caminho mais fácil, nem o mais popular, mas é um caminho de vida. Jesus falou de dois caminhos. Cabe a cada um de nós escolher o caminho no qual desejamos trilhar: o caminho da salvação ou da perdição? A escolha é nossa. E, por mais estreito e difícil que seja o caminho, ele é um caminho de vida.

Que tipo de experiência tem aquele que anda pela vereda da justiça?
O caminho pelo qual o nosso Pastor deseja que andemos é um caminho de justiça. Não se trata apenas de nome de rua. Andar por esse caminho significa também que quem por ele anda experimenta uma mudança explicada por duas palavras: justificação e santificação. Ao aceitar a guia divina, somos declarados justos em Cristo. Somos cobertos pelo manto de justiça de Cristo, mas também, ao ouvirmos a Sua voz, acabamos por refletir a Sua vontade e, por conseqüência, Seu caráter. Cada provação do caminho, cada tentação vencida, deve contribuir para a lapidação e burilamento do nosso caráter. O "Senhor, Justiça Nossa" Jr 23:6 é nosso caminho e nosso modelo, bem como a segurança de que, ao fim, trilhamos um caminho de vida. "Muitas pessoas que são já membros da grande família de Deus pouco sabem do que quer dizer contemplar Sua glória e ser mudadas de glória em glória. Muitos possuem uma vaga percepção da excelência de Cristo e, contudo, seu coração palpita de alegria. Anseiam por um mais completo e profundo sentimento do amor do Salvador. Que eles nutram todas as aspirações da alma para Deus. O Espírito Santo trabalha aqueles que desejam ser trabalhados, molda os que desejam ser moldados, cinzela os que desejam ser cinzelados. Obtenha por si mesmo a cultura de pensamentos espirituais e santas comunhões. Você não viu ainda a não ser os primeiros raios do despontar da aurora de Sua glória. À medida que avançar no conhecimento do Senhor, você aprenderá que ‘a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito’. Pv. 4:18"

Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 503, 504.