quinta-feira, 28 de junho de 2007

O QUE SUCEDE AOS FILHOS DOS HOMENS SUCEDE AOS ANIMAIS






Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade”. Eclesiastes 3:19.

É interessante como Salomão vai traçando um paralelo entre o homem e o animal. Talvez o leitor pudesse até ficar ofendido por ser comparado a um animal, mas o sábio não está falando sobre a racionalidade ou irracionalidade, mas de criaturas viventes e como elas terminam a vida. Embora sejamos seres superiores a estes, a mensagem que recebemos é que temos o mesmo fim. Ao falar da vida, Salomão fala de algo que tem começo e fim. Não importa se é gente ou animal, tudo aquilo que respira termina com a morte. A morte veio com a entrada do pecado, colocando um limite na vida do homem, que foi criado para viver eternamente. Hoje, em nosso mundo, com o passar dos dias, mais difícil fica se estabelecer uma vida equilibrada. O plano de vida elaborado por Deus, era de saúde plena em todos os sentidos, mas a debilidade em que nos encontramos, é visível devido à entrada do mal.


O sangue de Cristo no Calvário foi o antídoto a este veneno mortal, que trouxe novamente a humanidade o privilégio de obter a vida eterna. Ao nos comparar a um animal, Salomão não estava querendo diminuir ninguém, mas mostrar que no contexto final da nossa história, todos somos iguais, não há melhores ou piores. O fôlego de vida é a mais extraordinária bênção que Deus nos proporcionou. O sábio nos ajuda a compreender melhor o porquê de Jesus dizer: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. S. João 14:6. Jesus é vida, pois e através dEle e que nós podemos vencer a morte. A ilusão de que temos vida própria, faz-nos independentes aos olhos do Pai. Entretanto, a razão porque fomos criados a imagem e semelhança de Deus, significa que fomos feitos para nos relacionarmos com Ele.
Quando se trata de enfermidade e morte, a tragédia não tem favoritismo. Viver é um milagre de Deus. Ao escrever que nosso fim é igual ao dos animais, Salomão queria apenas mostrar que viver para si próprio é pura vaidade. Geralmente nós somos peritos em analisar a vida dos outros, e nos esquecemos de olhar para nós mesmos. Como nos faria bem se ao final de cada dia, antes de pegarmos no sono, fizéssemos uma reflexão em nossos pensamentos e ações! Ao vivermos neste mundo precisamos ter a noção da transitoriedade do tempo. As escolhas temporais que fazemos vão determinar se estamos debaixo da vaidade, ou a sombra da cruz de Cristo. Nossa visão precisa ser ampliada para as coisas invisíveis e à medida que nos entregamos com submissão ao nosso Criador e Senhor, veremos que o slogan: “A diferença é Cristo” faz realmente sentido, pois seremos transformados de tal forma somente para servir e amar.
Embora nosso fim seja parecido ao dos animais no sentido de “morrer”, fomos dotados de atributos peculiares, como a capacidade de raciocinar. Assim, podemos desenvolver virtudes como: o amor, a fidelidade, a sinceridade, a benignidade, a misericórdia, entre outras... que nos tornam herdeiros do reino celestial. A vaidade da vida, consiste em vivê-la para nós mesmos, mas o seu sucesso, consiste em viver para honra e glória de Deus. Para os animais a morte e um fim, mas para os que estão em Cristo a morte é um sono de espera, que nos habilita para uma ressurreição glorificada e eterna. Essa é uma vitória que começa aqui e dura para sempre