segunda-feira, 14 de abril de 2008

AJOELHEMO-NOS DIANTE DO SENHOR


Venham, fiquemos de joelhos e adoremos o SENHOR. Vamos nos ajoelhar diante do nosso Criador. Sal. 95:6.

Todos os deuses dos povos são coisas vãs; mas o Senhor fez os céus." Sal.96:5. "A quem pois Me fareis semelhante, para que lhe seja semelhante? diz o Santo. Levantai ao alto os olhos e vede quem criou estas coisas." "Assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a Terra, e a fez; ... Eu sou o Senhor, e não há outro." Isa. 40:25 e 26; 45:18. Diz o salmista: "Sabei que o Senhor é Deus; foi Ele, e não nós que nos fez povo Seu." "Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhemo-nos diante do Senhor que nos criou." Sal. 100:3; 95:6. E os seres santos que adoram a Deus nos Céus, declaram porque Lhe é devida sua homenagem: "Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder porque Tu criaste todas as coisas." Apoc. 4:11.

Nosso século vive a banalização de Deus. A tendência humana é torná-Lo pequeno e insignificante. O conceito bíblico de Deus é diferente. Para a cultura hebraica, Deus não era simples “energia”, “aura”, “luz” ou “influência”. Deus era Deus. Soberano e eterno. Criador dos Céus e da Terra. Deus pessoal e presente na vida humana. Sal. 95:6.

O convite do salmista é para que todos se unam a Ele na oração e no reconhecimento da grandeza do Criador. “Ajoelhemos”, disse o profeta, usando a palavra hebraica barak, que significa, literalmente, reconhecer que Deus sempre tem razão. Ele nunca Se equivoca. Seus conselhos são sábios e visam a felicidade humana, mesmo que pareçam não ter sentido para a criatura.

O mistério de Seus desígnios não significa arbitrariedade. Não é o pai irado que grita para o filho: “Cale a boca, você simplesmente deve obedecer.” Esse aparente mistério parece indecifrável ao ser humano, que é limitado por valores mesquinhos e terrenos. Um dia, quando a criatura for libertada de sua natureza humana, tudo será esclarecido.

Quando meu filho mais velho aprendeu a engatinhar, era fascinado pelas tomadas elétricas. Gostava de colocar o dedinho nas aberturas das tomadas, e assim colocava sua vida em risco. Naquele tempo, seria inútil explicar a uma criatura de apenas nove meses a reação que poderia produzir a junção do pólo positivo com o negativo. Quando eu dizia “não”, era só para o bem do meu filho, embora ele fosse incapaz de compreender.

Se você depositou sua vida nas mãos de Deus e, apesar disso, as coisas não saíram como você gostaria, confie no Senhor, ajoelhe-se, adore-O, porque Ele sabe o que está fazendo. Mais breve do que você imagina, o entenderá. Não desanime. Para chegar ao porto da vitória, é preciso velejar com o vento, às vezes a favor, às vezes contra, mas não parar de velejar.

Por isso, “vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou”.

FONTES DE PESQUISAS
Exaltai-o, p. 51
O Grande Conflito, 437
Olhando Para o Alto